Welcome to My World

Este site era um projecto há muito adiado, várias vezes começado e outras tantas abandonado.

Tem como intuito principal organizar memórias, umas de viagem e outras afectivas, e a elas poder voltar sempre que a melancolia para lá me dirigir. É, portanto, um registo essencialmente pessoal.

Sendo, contudo, de acesso público, está à disposição de quem o quiser visitar. Se aqui encontrarem algum motivo de interesse, seja pelos locais e motivos em si, seja pela leitura que deles fiz, tanto melhor. Espero que se divirtam e, se possível, que as imagens vos façam sonhar e vos tragam alguma emoção.

Na organização do site, nomeadamente na designação das páginas, os meus Amigos porventura reconhecerão algum traço da minha mente inquieta. Já estão habituados.

Para quem não me conhece, aqui fica uma breve explicação do nome, às vezes insólito, e do propósito das páginas e das galerias de fotografias.

O Próprio

Não é mais que uma brevíssima apresentação, também em forma menos convencional. Alguns traços que julgo ter e alguns gostos que sei que tenho.

A designação vem daquela resposta que sempre me fascinou quando se pede para falar com alguém ao telefone e se tem como resposta: “É o próprio”. Também usada em repartições de finanças e afins quando se tenta tratar de qualquer assunto e o funcionário dispara inquisidor: “É o próprio ?”

Aqui, o próprio sou eu.

Fresquinhas

Mais não será do que uma chamada de atenção para as últimas fotografias colocadas no site. Serão simultaneamente arrumadas nas galerias respectivas.

Baú de Memórias

Um baú à antiga, daqueles de tampa redonda e ferrolho, que havia no sótão da minha casa de infância, para guardar pedaços de tempo passado.

Tem um pequeno texto meu, e, por enquanto, está organizado nas seguintes galerias:

• Mi Patria Chica

Fotografias da Foz do Arelho da minha infância, da minha juventude, do meu refúgio actual e (em correndo bem …), do meu regresso definitivo a casa.

Creio que Mi Patria Chica é uma expressão usada na América Latina para designar a região ou cidade de origem. Há, pelo menos, canções da Venezuela, Panamá, Cuba com este título. Achei que expressava um sentimento e assim ficou.

Tem um excerto de um texto que escrevi para o livro “Lagoa de Óbidos”, editado pela Mar d’Água.

• Andanças

São fotografias de viagem que fui juntando ao longo dos anos. A maioria já digitais, algumas ainda em filme, depois digitalizadas.

Está dividida por países ou regiões.

Tinha pensado neste texto de um grande viajante:

Ao longo dos anos vagabundos, o olhar céptico habitua-se às cores mais brilhantes e aos cenários mais estranhos. Acaba por descobrir a mais decepcionante monotonia da terra e a semelhança de todos os seres – e trata-se de um dos mais profundos desencantos da vida.

No entanto, há recantos no Mundo que se mantêm intactos: só eles podem devolver às almas exaustas o frémito de que se julgavam desapossadas para sempre”

(Isabelle Eberhardt, 1877-1904)

Contudo, por questões de espaço, optei por alguns versos de What a Wonderful World, a lembrar, com os ecos da voz e do trompete de Louie Armstrong, que há tanto e tanto Mundo para nos surpreender com a sua grandeza e esplendor.

• Born to be Wild

Com a remissão óbvia para o tema de Mars Bonfire, popularizado na versão dos Steppenwolf e, principalmente, pelo filme Easy Rider.

Como não arranjava um título que me agradasse para as galerias (ainda pensei em “Bichos”) de fotografias de vida selvagem, um dos meus temas favoritos, achei apropriada a relação entre o título da música.

Tem duas citações que acho notáveis sobre o respeito pela vida animal, uma de S. Francisco de Assis e outra do Chefe Seattle, separadas por quase 700 anos de barbárie e destruição das espécies.

As galerias estão organizadas por animal (dito) selvagem, com nomes em Swailli. Quem viu o Rei Leão, reconhecerá alguns nomes. Quem não viu, veja as fotografias ou leia o texto “Karibu”, nesta página.

• Olhar Outros Olhares

Serão, principalmente, galerias de retratos espontaneos, às vezes clandestinos, organizados por um tema específico, por país ou região.

É outra área da fotografia que me interessa, onde o sentimento e a emoção são, em minha opinião, muito mais importantes que a perfeição técnica. Quando as duas dimensões se juntam, tanto melhor.

O pequeno texto de introdução é meu e quer dizer isso mesmo.

• Coisas de Nada

São apenas apontamentos visuais, daqueles que o simples facto de carregar com a máquina fotográfica me ajuda a identificar. São aquelas pequenas coisas, cores, padrões, sombras, perspectivas onde o olhar se prende.

Pensei neste título porque me remete para aquela expressão de quase desculpa que as pessoas utilizam para justificar a simplicidade ou insignificância material de uma oferta “Olha que é uma coisinha de nada”.

Depois, um dia de errância cibernética, vulgo internet, encontrei este excerto do Diário de Sebastião da Gama e pensei que não podia ser melhor.

• Esquinas da Vida

Situações insólitas, dramáticas, às vezes chocantes e perturbadoras.

Não pretendo fixar o grotesco, apenas a realidade. E a realidade é, por vezes, crua e cruel.

Procurei um texto, acabei por me lembrar do eterno fatalismo lusitano e da letra do Fado da Sina (“reza-te a sina nas linhas traçadas na palma da mão …” na voz da grande Hermínia Silva, a maior fadista do fado, com desculpas para a unanimidade nacional).

Espero sempre que a Vida desminta o Fado, às vezes engano-me.

Caixa Negra

Se chegou aqui, já sabe o que é.

Um registo de textos, referências, apontamentos, sugestões, meus ou alheios. Não exclusivamente dedicados à fotografia, mas também a outros temas que me interessam, que acompanho e de que gosto.

A referência do título vai para o registo magnético dos aviões.

Visitas de Casa

Um espaço para ouvir as opiniões, criticas, sugestões de quem quiser aparecer cá por casa.

Como creio que acontecerá a quem se dispõe a tornar público um espaço pessoal, as reacções de quem visita são importantes. Por isso, boas ou más, as vossas contribuições críticas serão muito agradecidas.

Por isso, entrem, sentem-se e juntem-se à conversa.

O Carteiro

Uma via de contacto directo e pessoal comigo, via email dedicado a este site.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s